Para diversos estúdios e academias no país as aulas online têm se mostrado uma alternativa vantajosa para contornar os efeitos do isolamento social, mantendo a marca ativa e gerando uma renda auxiliar. Tendo em vista esse potencial, recentemente o Gympass lançou um programa de Incentivo Às Aulas Ao Vivo para todos os seus parceiros. Aqueles que alcançassem determinadas metas de participação de alunos em suas aulas online receberiam pagamentos bônus, chegando ao prêmio máximo de R$125 mil.  

Após a vigência (e sucesso) da campanha, a equipe do Gympass entrevistou os vencedores do prêmio máximo – como se prepararam para o incentivo? Como têm garantido o alto engajamento de alunos em as aulas ao vivo?  

Confira as dicas dos campeões para aumentar a participação de alunos em aulas virtuais: 

1) Mantenha a comunicação com seus alunos em dia

Com o distanciamento social, é natural que as pessoas percam a frequência de contato que antes tinham com professores da academia e amigos de treino. É essencial portanto se manter no radar dos clientes providenciando conteúdo que lhes interesse e atraia. Envie emails instrutivos e invista em postagens nas redes sociais – fale sobre os benefícios das aulas, compartilhe artigos, ofereça dicas de saúde, publique séries de exercícios rápidos, mostre dados relevantes e por aí vai. 

Também não se esqueça de aproveitar todos os seus canais de comunicação para estimular os alunos a participarem das lives. Priscilla Almeida, proprietária do estúdio paulistano Ride State, comenta que para atingir o prêmio máximo de Incentivo às Aulas Ao Vivo teve de aumentar os esforços de comunicação: “Reativamos o nosso mailing e também motivamos os alunos com comunicações por Instagram e Whatsapp. Inclusive, aprendi na marra a aprender como funciona o Whatsapp Business e a personalização de mensagens”. 

Caso não tenha tanta familiaridade com a tecnologia, você pode manter a proximidade com clientes por meio de ligações ou mensagens. O dono da Academia Olímpia de Mogi Das Cruzes (SP), Cleber Gimenez, explica que ligar para seus alunos foi peça-chave para suas aulas ao vivo prosperarem, pois assim conseguiu “coletar o feedback deles, explicar os benefícios da atividade física e os incentivar a treinar também.” A academia Life Style (Araxá/MG) de Leandro Gonçalves também enxergou resultados em ligar para alunos –  “Eu fui entrando em contato, um a um, chamando para participarem das aulas e tive uma aceitação muito boa.” – explica o empresário. 

2) Conte com uma equipe de profissionais cativantes e preparados

De aulas ao vivo ao atendimento ao cliente, contar com colaboradores pró-ativos, dedicados e bem-instruídos em relação às aulas online é fundamental. Os instrutores, principalmente, têm a importante responsabilidade de conquistar alunos – e isso vai além de oferecer um bom treino. Dirigir-se a participantes durante os exercícios, conversar com alunos sobre seus objetivos, desenvolver o senso de comunidade – essas são algumas das atitudes que podem fazer toda a diferença. “Se o professor não motivar o aluno desde a primeira aula, ele não volta. Ele precisa gerar saudade para o aluno participar no dia seguinte.” – explica Cleber. 

Principalmente agora – momento em que alguns estabelecimentos estão fechados ou operando com capacidade reduzida – incentivar instrutores a manterem um bom relacionamento com os alunos fora da academia têm se mostrado primordial. Cristiane Procópio, dona da Portal Academia (Campina Grande/ PB), ressalta que muitos clientes estão se sentindo sozinhos e desmotivados com o isolamento social e ter coaches “cativando e fortalecendo vínculos têm sido indispensável” para aumentar a participação em aulas online.

3) Impulsione o engajamento com reconhecimento e premiação

Um desafio para a maioria das academias e estúdios, seja no ambiente digital ou não, é a retenção de clientes. Além de um bom trabalho de comunicação e uma equipe de instrutores carismáticos – a realização de sorteios, premiações ou outras formas de reconhecimento de alunos tendem a alavancar o engajamento. 

A Ride State, por exemplo, já promoveu uma série de sorteios entre os alunos que mais fizeram check-ins – até mesmo de uma uma bike ergométrica. Além disso, tem enxergado retorno em sorteios diários com participantes das lives: “Camisetas dry fit, viseiras, kits de peso. Isso foi crucial porque percebemos a recorrência dessas pessoas e um aumento de participantes nas lives.” – conta Priscilla. A Academia Olímpia também opta por sorteios com base na participação, os clientes mais ativos já concorreram a celulares, viagens e vale-compras. 

Há também alternativas de incentivo que podem transformar as aulas em games. A Cross Life Vila Belmiro (Santos/SP) estabeleceu uma meta de treinos e quem a cumprisse ganharia uma toalha bordada personalizada – “isso chamou super atenção dos alunos. Tivemos ganhadores do Rio de Janeiro, Roraima, São Paulo, Campinas.” – explica o proprietário, Ronald dos Santos. 

Iniciativas voltadas para a comunidade são outra boa pedida. O proprietário da Cross Life Mogi das Cruzes, Marcio de Oliveira, conta que, ao promover uma campanha de arrecadação de alimentos não-perecíveis entre os alunos, conseguiu doar 1 tonelada de alimentos para comunidades carentes. “Da mesma forma que os alunos foram participativos e solidários com a gente, nós passamos a solidariedade para frente e isso os motivou bastante.”

4) Adapte-se conforme o feedback do cliente

Diante de um novo cenário, não apenas os treinos precisam se ajustar para a realidade adaptada como as necessidades dos clientes podem mudar. Isso porque muitas pessoas tiveram de rever a rotina de bem-estar e a conciliar com outras responsabilidades dentro de casa. Realizar pesquisas com alunos, portanto, é um recurso estratégico para melhorar a performance de suas aulas online. 

A chapecoense Lead Academia entrevistou uma série de pessoas para entender quais eram os treinos favoritos para fazer de casa, e com base nisso, montaram uma nova grade de aulas. “Perguntamos também para alguns clientes mais próximos quais seriam as aulas que na opinião deles chamaria mais atenção do público que ainda não nos conhecia.” – conta o proprietário Júlio César Moura Franco. 

O empresário ainda relata que a definição dos novos horários foi feita em função da rotina de trabalho da maioria de seu público alvo: “As aulas mais acessadas são sempre ao fim do expediente, entre às 19h e 21h. ”, conclui.

5) Mantenha a sua marca ativa

Apesar da distância física, as pessoas tem se mantido mais conectadas online. Esse é um momento oportuno para manter sua marca em evidência nas redes sociais e mostrar os diferenciais das suas aulas ao vivo:  “postei no perfil da LifeStyle relatos de alunas que emagreceram com as nossas lives e observei bastante engajamento.” – comenta Leandro. Você pode divulgar os resultados de alunos, gravar vídeos curtos com professores convidando para os treinos, explicar mais sobre as atividades que oferece e seus benefícios e entre outros exemplos. 

6) Inovação é sempre bem-vinda 

Não é novidade para o mercado que a criatividade é uma importante ferramenta para o crescimento dos negócios – especialmente durante uma pandemia. Confira algumas ideias de parceiros que contribuíram para o aumento da participação de alunos nas aulas online: 

  • Incluir novas atividades 

Seu estabelecimento oferece modalidades que não conseguem ser praticadas de casa? Pense na possibilidade de expandir a sua gama de atividades. Antes a Cross Life Mogi oferecia dois tipos de treino, e com a chegada das aulas ao vivo, incluiu aulas de Yoga, Pilates e Forró na grade horária. “Os alunos viram de forma positiva essas mudanças” – afirma Márcio. 

  • Desenvolver campanhas de indicação. 

Baixa procura por parte dos alunos? Desenvolva programas de indicação e fidelidade. A Cross Life da Vila Belmiro, por exemplo, lançou uma campanha presenteando alunos que trouxessem 3 amigos Gympass para aulas da academia. 

  • Mudar ou adaptar a metodologia

Com uma realidade diferente, novos desafios naturalmente surgem. Você pode ter que mudar a maneira de atender ao cliente ou ajustar o método de ensino. Segundo Cristiane, a Portal Academia adotou uma abordagem similar à do personal trainer: “mapeamos os objetivos dos alunos e lançamos desafios individuais com metas a serem cumpridas.” O acompanhamento mais próximo do instrutor pode estimular o cliente em relação à sua evolução. 

  • Prestar atenção aos detalhes

Em aulas por transmissão, a qualidade da imagem e som contam tanto quanto a qualidade do treino. É interessante não apenas investir em bons equipamentos para as transmissões mas prestar atenção aos detalhes. A parceira Olímpia de Mogi das Cruzes muda inclusive de cenários da academia no decorrer das lives –  “a regra aqui é que a cada quatro dias mudamos os ambientes para não ‘enjoar’ os alunos.”, explica Cleber. 

 

Comments

comments